INICIAÇÃO CIENTÍFICA SOBRE ECOLOGIA DE FUNGOS EM UM FRAGMENTO FLORESTAL

INICIAÇÃO CIENTÍFICA SOBRE ECOLOGIA DE FUNGOS EM UM FRAGMENTO FLORESTAL

ENIC201984752

ENIC - Encontro de Iniciação Científica

JULIO CESAR VOLTOLINI
NATÁLIA DE CASTRO TOMAZ MACEDO , ISABELA ASSONI, DAIANA APARECIDA SATIN MONTEIRO

INICIAÇÃO CIENTÍFICA SOBRE ECOLOGIA DE FUNGOS EM UM FRAGMENTO FLORESTAL

O projeto de Iniciação Científica para alunos do EAD propôs a experiência de abranger os seus conhecimentos por meio de observações em campo em busca de dados de diferentes espécies biológicas. O objetivo do nosso grupo foi investigar a distribuição de fungos em uma área de floresta. O estudo foi realizado no Parque Natural Municipal do Vale do Itaim (Taubaté, SP) em um fragmento florestal com uma trilha de 300 metros utilizada para atividades educacionais com escolas. Os alunos de diferentes cursos do EAD da Unitau e alguns professores percorreram a trilha observando animais, plantas e fatores que poderiam afetar as espécies mas, sem a interferência do professor facilitador da atividade, seguindo a abordagem de Aprendizagem Baseada em Projetos de Pesquisa. No final da trilha os alunos apresentaram individualmente as observações e discutiram ideias de projetos de pesquisa que poderiam ser realizados por eles ou crianças de escolas naquele ambiente. Vários alunos tiveram ideias semelhantes e formaram times de pesquisa para coletar os dados retornando pela trilha. O professor facilitador apenas orientou algumas das ideias e ensinou quais métodos de coleta de dados seriam os mais apropriados. A seguir, o nosso grupo fez observações sobre os fungos ao longo da trilha e a cada 25 metros contamos o número de cogumelos observados até dois metros de cada lado da trilha. Após alguns dias nos reunimos no Departamento de EAD da Universidade para recebermos a instrução de análise de dados utilizando ferramentas simples de matemática e estatística para que pudessem fazer análises com facilidade, rapidez e clareza. Por fim, finalizamos a atividade em outro encontro quando recebemos instrução sobre redação científica com cada grupo escrevendo um relatório científico. Como resultado, observamos que quanto mais úmido e sombreado o ambiente maior a proliferação de fungos. Nós encontramos entre 3 a 5 fungos no início da trilha mais seca até 150 metros e entre 16 a 74 fungos do meio da trilha em diante onde a floresta está mais preservada e é mais úmida e escura. Assim, nós concluímos que para a sobrevivência das espécies de fungo naquela trilha seria necessário um ambiente de clima ameno e com maior densidade de vegetação ativa. Portanto, quanto mais adentrávamos a trilha mais aumentava a proliferação de fungos e quanto mais próximo a borda menor era o número fungos. A atividade permitiu vivenciar a ciência na prática e o trabalho em equipe, mas o conhecimento adquirido poderá ser usado também depois para aplicarmos atividades científicas semelhantes com alunos de escolas, passando por todas as etapas do método científico.