Uma nova versão para a pesquisa

                                     

Foto: Julia Carvalho/UNITAU

A Profa. Dra. Sheila Cavalca Cortelli, ex-aluna do curso de Odontologia da Universidade de Taubaté (UNITAU), é a nova Pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Instituição.

Sua história com a área de pesquisa teve início na graduação, por meio da iniciação científica, o primeiro contato que os estudantes de cursos superiores têm com a produção de ciência. Depois de formada, ingressou no mestrado na área de Odontologia, também pela UNITAU.

“Em minhas pesquisas, sempre busquei algo voltado para o melhor atendimento às pessoas, uma evolução em termos de saúde mesmo. Desde sempre, estou aqui, formada e vinculada à Universidade”, comenta a Pró-reitora, que iniciou a carreira docente na UNITAU em 2000.

Quando concluiu o doutorado, em 2003, Sheila começou a se envolver com os programas de pós-graduação da UNITAU. “Tive os laboratórios de microbiologia como suporte para desenvolver pesquisas principalmente na área clínica”.

Passar por diferentes fases dentro da Universidade foi uma experiência que irá contribuir para seu trabalho enquanto Pró-reitora. “Conhecer o funcionamento da Instituição é sempre muito produtivo.  A partir do momento em que você atua em diferentes cenários, descobre também diferentes necessidades, os pontos positivos e negativos para ser mais competitivo”, afirma.

A expectativa da nova Pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação é de uma Universidade fortalecida no ensino e ampliando o setor de pós-graduação. “Em 2007 para 2008, pude presenciar um grande avanço, quando colocamos para funcionar o centro de pesquisa clínica da Universidade, isso mobilizou muitas pessoas. Em Odontologia, somos um dos primeiros centros de pesquisa clínica do Brasil”, comenta.

A docente espera cumprir um bom papel na nova função, e crescer junto com a Universidade. “Minha responsabilidade vai além de educar. É fazer com que a população entenda a importância da pesquisa, e, para isso, espero conseguir fortalecer a pós-graduação e trabalhar mais o ensino a distância. Daqui a alguns anos, espero que os professores formados por nós estejam mais bem preparados para lidar com as diferenças das novas gerações”, conclui a pró-reitora.

Mirella Alves
ACOM/UNITAU