Uma comunicóloga para cuidar da responsabilidade social

                                                                                   Foto: Julia Carvalho

Boa parte da trajetória acadêmica da Profa. Dra. Letícia Maria Pinto da Costa foi construída junto à Universidade de Taubaté (UNITAU). A atual Pró-reitora de Extensão deu seus primeiros passos na Universidade há 30 anos, quando começou a cursar Direito. Porém, no íntimo, seu sonho era cursar Comunicação.

Após alguns semestres no Departamento de Ciências Jurídicas, percebeu que estava mais para a Comunicação Social. Depois de conversar com os pais, transferiu-se para o curso de Publicidade e Propaganda. “No terceiro ano, o Prof. Robson Bastos insistiu muito para que eu fizesse Jornalismo e eu segui o conselho dele”, conta a Pró-reitora, que se formou em Jornalismo e finalizou também a graduação em Publicidade e Propaganda.

Depois de formada, atuou no jornalismo diário e em assessoria de imprensa. Cinco anos mais tarde, voltaria à UNITAU para fazer pós-graduação, quando surgiu uma vaga de professor para a disciplina de Teoria da Comunicação. Após começar a dar aulas, Leticia estreitou o relacionamento com a área acadêmica. “Logo que comecei na docência, iniciei o mestrado e, depois, o doutorado”, destaca.

Nesse período, sua relação com a Universidade começou a se estreitar ainda mais. “Seis meses após começar a dar aulas, o professor Galvão me convidou para fazer parte da equipe do Jornal UNITAU, que curiosamente era produzido pela Pró-reitoria de Extensão”, relata.

Com o crescimento da publicação, o próximo passo seria a centralização das informações da Universidade em um só local: a ACOM. “Nos dois primeiros anos, eu atuei na assessoria de imprensa da UNITAU, e depois fiquei com a coordenação geral, cargo em que estive por oito anos. Aí surgiram novas oportunidades e eu precisei retomar meus estudos acadêmicos” explica a Pró-reitora. “Agora recebi o convite da Profa. Nara e me sinto extremamente honrada, pois eu trabalhei com ela desde o meu começo aqui, nós temos uma história de muito trabalho juntas”, relembra.

Entre as lembranças mais marcantes da docente durante seu período como aluna da Universidade está o Trabalho de Graduação, que produziu com outras duas colegas. “Foi uma banca muito tensa, mas meu grupo tirou 9,6”, conta. O trabalho produzido foi um livro-reportagem sobre o movimento estudantil, que o Prof. Dr. Robson Bastos inscreveu no Intercom e ganhou o prêmio de melhor trabalho de Jornalismo do Brasil. “Foi a maior emoção que senti na minha vida profissional, pois soubemos que éramos capazes, então eu sou grata à nossa dedicação e à dedicação dos professores que acreditaram na gente”.

A docente, que no tempo livre gosta de ficar com a família, correr, cozinhar, ler e rezar (nessa ordem), ressalta que vai se empenhar ao máximo para melhorar a Universidade. “Por onde passei, sempre quis acrescentar algo. Hoje, estou numa função diferente do habitual e vou desempenhá-la da melhor forma possível. Independentemente do lugar em que a gente esteja, o mais importante é darmos o nosso melhor”.

Para o futuro, Leticia vislumbra uma Instituição mais moderna e atualizada. “Eu imagino a Universidade mais ágil. Eu acredito muito no que a Profa. Nara colocou na campanha, que a UNITAU precisa se reinventar. Para isso, ela precisa ter uma reforma administrativa, continuando a ser referência na qualidade de ensino”, finaliza.

Julia Carvalho e Felipe Rodrigues

ACOM/UNITAU