Herança cultural de aluno se torna livro sobre literatura de cordel

José Severino é aluno de Artes Visuais do polo de Resende da EAD UNITAU. Natural de Cumaru/PE, ele transformou as raízes da sua terra natal em livro: Diáspora Nordestina: a literatura de cordel como marca identitária. A obra resgata o sentimento de pertencimento e a identidade do povo nordestino.

Dissertação de mestrado

Recentemente reinserido na vida de estudante, José já é formado em História, mestre em Letras e Ciências Humanas e doutor em Humanidades, Culturas e Artes. Guiado pelas experiências vividas enquanto migrante e incentivado pelo debate sobre a Diáspora Nordestina no Município de Duque de Caxias, o aluno definiu sua tese de mestrado. “As aulas de cultura brasileira e aspectos identitários do grande Rio despertaram a ideia de escrever sobre algo que também me representasse”, relembra.

Escolha do tema

O cordel foi escolhido por simbolizar a herança cultural trazida por José. “Sou um migrante nordestino. Embora tenha saído do Nordeste, o Nordeste não saiu de mim”, comenta o aluno. “O cordel representa uma das marcas que compõem o nordestino. Nessa perspectiva, o meu objeto de estudo foi a migração nordestina, e o cordel foi conduziu esta obra”.

Publicação da obra

Quando apresentou sua dissertação à banca, recebeu a orientação de transformá-la em livro, uma surpresa para José. “Inicialmente, não esperei muito impacto, justamente por ser uma dissertação de mestrado, um texto acadêmico e mais restrito”, conta. Com o projeto pronto, o escritor se surpreendeu com o resultado. “Fiz quatro lançamentos em Universidades, o livro foi publicado no Jornal Extra, no Portal de Universidades e se tornou resenha de livro lançado pelo NUCLEAS-UERJ – Núcleo de Estudos das Américas neste ano em curso. Considero um sucesso”, comemora.

Artes Visuais na EAD UNITAU

José sempre esteve conectado com o mundo artístico. “A arte de modo geral me representa. Sou músico (tecladista, guitarrista, violonista…), compositor, xilógrafo, escritor e cordelista”, apresenta. “Como o meu doutorado fiz em Humanidades Culturas e Artes, pensei fazer uma Segunda graduação em Artes Visuais para ampliar o meu olhar e agregar valor no meu currículo”, relata.

Por ser morador de São João de Meriti, o aluno escolheu o polo de Resende para estudar. “Sou grato pela acolhida na UNITAU, uma Universidade que a cada dia me encanta, pelo atendimento no polo de Resende e mediação feita pelos professores”, finaliza.

 

Marina Lima

Assessoria de Comunicação – EPTS/UNITAU