Aluna de Letras coordena Laboratório de Leitura

A aluna Daniela Vilas Bôas, do curso de Letras, coordena o projeto Tertúlias – por que o livro livra, um laboratório de leitura em São José dos Campos-SP.

Ingressando na EAD UNITAU

Daniela está no 3ª semestre do curso de Licenciatura em Letras; mas, antes de ingressar na EAD UNITAU, cursou Engenharia Elétrica, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), na qual era apaixonada pelas matérias de exatas e queria trabalhar em grandes empresas. “Escolhi a EAD UNITAU, para minha segunda graduação, pela qualidade do material didático, pela viabilidade e pela Universidade, que é bem reconhecida no mercado”, fala.

Atuação do projeto

O projeto Tertúlias nasceu em junho deste ano; mas, antes de mergulhar de cabeça na ideia, Daniela participou de um curso de Coordenação de Laboratórios de Leitura, na Casa Arca, em São Paulo, com o Prof. Dr. Dante Gallian, da Faculdade de Medicina da UNIFESP, idealizador e sistematizador da metodologia.

“Os Laboratórios de Leitura nasceram em ambiente universitário. Hoje eles conquistaram o mundo corporativo, o acadêmico de MBAs e de especialização na área jurídica, e tantos outros ambientes onde a humanização se faz presente e necessária”, explica.

O Tertúlias tem o objetivo de conectar pessoas e despertar nelas o que existe de mais humano. O autoconhecimento é o ponto de partida de todos os fatores, tendo como base a Literatura. O projeto conta com 41 membros ou “tertulianos”, como são chamados, e uma equipe de apoio de Marketing e Gastronomia.

O dia a dia, no projeto, começa com a escolha da obra, que geralmente é um clássico. Os participantes têm, no mínimo, duas semanas para ler e registar as percepções que o texto despertou. A duração de um Laboratório de Leitura é de quatro encontro semanais, com uma hora e meia de discussão

Outras ações

Concomitante ao curso de Coordenação, Daniela iniciou um trabalho com adolescentes, nas comunidades de Santa Cruz I e II, em fevereiro deste ano, em São José. “Temos o intuito de despertar neles o gosto pela literatura, a curiosidade, o espírito crítico e o que cada um tem de melhor dentro de si, em meio às dificuldades que enfrentam todos os dias”, ressalta.

Daniela também participa, uma vez por mês, de um grupo de leitura denominado Confraria das Altas Vozes, o qual lhe serve de fonte de inspiração.

Futuro do Tertúlias

Para 2020, Daniela pretende aumentar o número de participantes, por meio de propagandas e divulgações dos “tertulianos”. Também quer conquistar mais espaços em São Jose dos Campos, levando a arte dos encontros literários pela cidade, principalmente nas Instituições de ensino Fundamental e Médio.

Daniela encerra esta entrevista com uma mensagem sobre humanização: “Precisamos, todos, voltar a conversar menos virtualmente, cultivar relacionamentos com qualidade, olhar no olho dos nossos interlocutores e não deixar a correria, as obrigações ou a rotina eliminarem o que temos de sentimento e espontaneidade, que são próprios do ser humano”.

Nathália Sobral

Assessoria de Comunicação EPTS/UNITAU